Categoria: Franquias

Franquias de alimentos têm esporte como trampolim

Franquias de alimentos têm esporte como trampolim - Franquias de alimentos têm esporte como trampolim

A união entre grandes franquias de alimentos, bebidas e os esportes é de longa data. Atletas servem de garotos-propaganda para todo tipo de produto alimentício, desde redes de fast food, refrigerantes, café, bebidas energéticas, e até bebidas alcóolicas. A sinergia é clara.

Apesar da recente polêmica envolvendo Cristiano Ronaldo e uma conhecida marca de refrigerantes, é fácil saber porque marcas de comida e bebida vão atrás dos esportes: parar duas horas na frente da televisão, seja em casa, no bar, ou num estádio é quase um convite ao consumo.

Tradição em vários países, mas especialmente nos EUA

Tradição em vários países mas especialmente nos EUA - Franquias de alimentos têm esporte como trampolim

Os americanos tratam o esporte como uma forma nobre de entretenimento, e o beisebol, por exemplo, é um dos mais propícios para uma boa refeição, ainda mais porque o jogo é longo e tem paradas constantes.

Os estádios de beisebol da MLB (Major League Baseball, a principal liga norte-americana) são conhecidos por seus pratos, que podem ser desde um simples cachorro quente, só com pão, salsicha e mostarda, até coisas muito elaboradas.

Aos poucos o futebol foi aceitando que o que acontece em volta do campo também é um espetáculo por si só, e a modernização dos estádios foi permitindo a entrada de grandes franquias de alimentos, que exploraram um público à procura de algo para ”encher o estômago”.

A importância de uma boa alimentação não é só restrita ao público, mas especialmente para os atletas, que cada vez mais se preocupam com a ciência que existe por trás de cada ingrediente, nutriente e produto. Há atletas que são conhecidos por não se importar tanto, e até ter aquela ”barriguinha saliente”, enquanto outros tratam cada coisa que passa por sua boca como gasolina para sua atividade.

Proteínas, carboidratos, sais minerais, gorduras saudáveis, tudo muito bem calculado para a melhor prática física e desempenho do corpo. E isso pode, sim, envolver as franquias de alimentos, que cada vez mais se preocupam em oferecer comidas saudáveis. A união entre elas e esportistas não tem data de validade.

Fornecedores de comida: é legal confiar em uma franquia?

Fornecedores de comida é legal confiar em uma franquia  - Fornecedores de comida: é legal confiar em uma franquia?

O fornecimento de comida para um evento é fundamental no planejamento de qualquer encontro, seja entre poucas pessoas, ou até milhares. No caso de um evento esportivo, a especificidade é ainda maior, porque são várias coisas a se considerar: qual é o público, se há diferentes grupos que precisam de diferentes opções, preço, qualidade, e a lista continua.

Por isso, fazer uma lista de melhores fornecedores de comida não é fácil. O ideal é que o organizador do evento tenha algumas opções, e busque, com fontes confiáveis, e até indicações, quais empresas de fornecimento são boas.

A opção por uma franquia alimentícia faz todo o sentido: ter chegado a esse ponto indica uma experiência no mercado e dado sucesso. Essa franquia terá uma estrutura de cozinha, ingredientes e profissionais para atender as maiores demandas. Algo muito comum nesse ramo são imprevistos que afetam o combinado, ou até complicam bastante o planejado, por isso, confiar em um grande fornecedor, possa talvez ser uma boa ideia.

Algo para ficar de olho

Algo para ficar de olho - Fornecedores de comida: é legal confiar em uma franquia?

Entretanto, um grande fornecedor de comida pode não ser uma boa escolha: a criação de pratos e opções no método industrial pode impactar no gosto, isso sem contar se são usados conservantes e outros tipos de químicos.

É também comum que exista uma padronização maior dos alimentos, algo que algumas pessoas podem achar sem graça. Por isso, antes de fechar qualquer acordo de fornecimento de comida, é legal fazer uma prova, algo muito comum nesse meio. Fazendo essa prova é possível ter completa noção do que será oferecido e, se aprovado, novamente, a estrutura física e de profissionais darão uma tranquilidade maior para o organizador. Isso é sempre bom.